Prefeitura de Vinhedo

  • Educação

    + Notícias

    Estudantes da Rede de Ensino de Vinhedo poderão participar do projeto EPTV na Escola

    Redação deve ser feita pelos alunos do 9o ano do ensino fundamental; primeiros colocados serão premiados com televisor HD






    A Prefeitura de Vinhedo participou na quinta-feira passada do lançamento do projeto EPTV na Escola. A iniciativa da emissora tem como objetivo propor a discussão, o estudo e a reflexão de assuntos atuais que integrem o cotidiano dos estudantes. Poderão participar do projeto todos os alunos do 9º ano do ensino fundamental da rede municipal. A Secretaria da Educação também convidará estudantes das escolas da rede estadual, particular e do Centro Educacional do Serviço Social da Indústria (Sesi) para integrar a iniciativa.
    Neste ano, o concurso terá como tema Bullying: quando a brincadeira perde a graça, assunto que segundo o prefeito Milton Serafim é de muita relevância e deve ser discutido dentro e fora do ambiente escolar. “Esta é uma ótima forma de conscientizar os alunos sobre este tema, que intimida e causa tantos transtornos na vida de quem sofre este tipo de agressão”, disse.
    Em Vinhedo, há uma lei municipal (nº 3.345) que institui no calendário escolar oficial a Semana de Combate ao Bullying. A atividade é promovida sempre na primeira semana de fevereiro de cada ano e contempla ações de conscientização entre os alunos.
    O vice-prefeito e secretário da Educação, Jaime Cruz, ainda ressaltou que espera que a discussão do assunto envolva também toda a família e a comunidade acerca dos alunos. “Ao colocar em pauta uma reflexão com este enfoque, é possível enfrentar o problema e combatê-lo efetivamente junto aos estudantes”, comentou.
    Para participar do EPTV na Escola, o estudante deve escrever uma redação com o mínimo de 15 linhas e máximo de 25. Os 30 classificados de cada cidade ganham um dia de passeio em Campinas, com roteiro que inclui uma visita à emissora e outras atividades. De acordo com a EPTV, a previsão é que os alunos selecionados de Vinhedo participem deste passeio em 18 de agosto.
    Os semifinalistas do concurso serão divulgados em 7 de outubro, sendo que cada município terá pelo menos uma redação selecionada. Já os dez finalistas serão conhecidos em 25 de outubro e serão premiados com um televisor HD. Os professores orientadores, o diretor da escola e a unidade de ensino receberão outros prêmios. Os autores dos dez melhores trabalhos da região produzirão ainda uma série de reportagens televisivas sobre o tema.
    Mais informações sobre o projeto EPTV na Escola podem ser obtidas no site: www.eptv.com/eptvnaescola.
    O bullying
    Traduzido ao português, a palavra inglesa bully quer dizer brigão, ameaçar, amedrontar ou intimidar. Já o bullying – originário deste termo – significa uma agressão física e psicológica que ocorre entre as pessoas de forma intencional, sem motivo que justifique a atitude. “Este tipo de violência costuma ocorrer de forma gratuita e pode ocasionar em diversos traumas na vítima, tais como insegurança excessiva, dificuldade de relacionamento, baixo rendimento escolar, depressão e, até mesmo, tendência ao suicídio ou para praticar homicídio”, disse a pedagoga Carolina Giannoni Camargo, especialista no assunto.
    Entre as características das vítimas de bullying, Carolina explicou que as mais comuns são timidez, aspecto físico frágil, passividade, submissão, baixa autoestima e pouca sociabilidade. Já os autores da agressão são geralmente caracterizados pela sua impulsividade, despreparo para enfrentar diferenças e não aceitam ser contrariados. “Estudos apontam que os praticantes são vítima de uma educação permissiva demais e não têm respeito pelo próximo. Além disso, gostam de levar vantagem em tudo que fazem e manipulam as situações ao redor sempre ao seu favor”, disse.
    Para combater a prática, a pedagoga indica que a melhor forma é não manter o silêncio e denunciar a atitude à família e aos amigos. “A turma também pode ajudar seus colegas, que são vítimas desta violência, fazendo a denúncia da prática e do autor ao responsável pela escola, por exemplo”, relatou.