Prefeitura de Vinhedo

  • Prefeito

    + Notícias

    Prefeito Jaime Cruz participa da abertura do encontro do Parlamento da RMC, em Vinhedo

    IMG_8383

    O prefeito Jaime Cruz participou na manhã desta sexta-feira, dia 2, da abertura da 3ª Reunião Ordinária do Parlamento Metropolitano de Campinas, que hoje ocorre na Câmara Municipal de Vinhedo, tendo como anfitrião o presidente do Legislativo local, vereador Nil Ramos, que é vice-presidente do Parlamento. Em seu discurso, Jaime Cruz lembrou que em 2005, quando era vereador, participou da criação do órgão.  

    O Parlamento Metropolitano de Campinas, presidido pelo vereador Hélio Ribeiro, de Indaiatuba, integra o Legislativo dos 20 municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC). Também em sua fala, o prefeito de Vinhedo reforçou a importância das Câmaras Municipais em prol da representatividade dos moradores dos respectivos municípios.  

    “Eu fui vereador por três vezes desta Casa e ocupei a presidência no biênio 2005 e 2006 e eu sei a importância de uma Câmara Municipal quando a Câmara é séria, quando os vereadores são sérios. Eu sei que a Câmara é a ressonância da voz do povo. É aqui que a população percebe e vê as suas expressões colocadas no poder institucional”, discursou o prefeito Jaime Cruz. 

    O encontro de hoje do Parlamento Metropolitano de Campinas teve a palestra “O Impacto Social e Econômico dos Acidentes de Trânsito para os Municípios”, proferida pelo diretor do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), José Aurélio Ramalho.  

    Na oportunidade, foi apresentado aos presidentes de Câmara desses 20 municípios, um mapa atualizado dos acidentes de trânsito ocorridos nesta região e o impacto que isso causa nos municípios. 

    No mesmo evento, a presidente do Centro Infantil Boldrini, Silvia Brandalise, chamou a atenção para os casos de importação do medicamento Leuginase (Asparaginase), utilizado no tratamento da Leucemia Lindóide Aguda (LLA).   

    Até ano passado, esse medicamento era importado de laboratórios alemães e americanos. No início do ano, o Ministério da Saúde passou a importar a droga do Governo chinês. Segundo Brandalise, teste encomendado pelo Centro Boldrini (referência na América Latina no combate ao câncer infantil) apresentou resultados preocupantes para os pacientes. O laudo apontou que 40% do produto está contaminado por proteínas, o que, segundo especialistas, não garante a eficiência do remédio.