Prefeitura de Vinhedo

  • Participe da LDO 2019:

    envie suas sugestões
  • Educação

    + Notícias

    Prefeitura de Vinhedo desenvolve ações com alunos do Ensino Fundamental II sobre resíduos sólidos e coleta seletiva

    A Prefeitura de Vinhedo, por meio das secretarias de Meio Ambiente e Urbanismo e de Educação, está realizando uma série de palestras sobre resíduos sólidos e coleta seletiva nas escolas de Ensino Fundamental II (alunos do 6º ao 9º ano).

    Durante as palestras, os estudantes sãos sensibilizados sobre o tema e são conduzidos a refletir sobre a questão dos resíduos sólidos, definindo os problemas que vêm dos lixões em relação às questões ambientais, sociais, sanitárias e econômicas.

    A Política Nacional dos Resíduos Sólidos e o conceito de responsabilidade compartilhada sobre os resíduos gerados e a necessidade de separar os materiais em casa e enviar para o aterro sanitário somente os rejeitos também são discutidos com os alunos.

     

    Coleta seletiva

    Coleta seletiva é a coleta diferenciada de resíduos que foram previamente separados segundo a sua constituição ou composição. Ou seja, resíduos com características similares são selecionados pelo gerador (que pode ser o cidadão, uma empresa ou outra instituição) e disponibilizados para a coleta separadamente.

    De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a implantação da coleta seletiva é obrigação dos municípios e metas referentes à coleta seletiva fazem parte do conteúdo mínimo que deve constar nos planos de gestão integrada de resíduos sólidos dos municípios.

    A coleta seletiva promovida pela Prefeitura de Vinhedo é considerada um modelo na região, tanto que, em 2017, o município foi um dos vencedores do 10º Prêmio RAC-Sanasa Responsabilidade Ambiental, sendo a única representante entre as Administrações Municipais da região a receber a premiação.

     

    Importância de separar os resíduos sólidos 

    Cada tipo de resíduo tem um processo próprio de reciclagem. Na medida em que vários tipos de resíduos sólidos são misturados, sua reciclagem se torna mais cara ou mesmo inviável, pela dificuldade de separá-los de acordo com sua constituição ou composição. O processo industrial de reciclagem de uma lata de alumínio, por exemplo, é diferente da reciclagem de uma caixa de papelão.

    Por este motivo, a Política Nacional de Resíduos Sólidos estabeleceu que a coleta seletiva nos municípios brasileiros deve permitir, no mínimo, a segregação entre resíduos recicláveis secos e rejeitos. Os resíduos recicláveis secos são compostos, principalmente, por metais (como aço e alumínio), papel, papelão, tetrapak, diferentes tipos de plásticos e vidro. Já os rejeitos, que são os resíduos não recicláveis, são compostos principalmente por resíduos de banheiros e outros resíduos de limpeza.

    Existe ainda outra parte importante dos resíduos que são os resíduos orgânicos, que consistem em restos de alimentos e resíduos de jardim. É importante que esses resíduos não sejam misturados com outros tipos de resíduos, para que não prejudiquem a reciclagem dos resíduos secos e para que os resíduos orgânicos possam ser reciclados e transformados em adubo de forma segura em processos simples como a compostagem. Por este motivo, alguns estabelecimentos e municípios têm adotado a separação dos resíduos em três frações: recicláveis secos, resíduos orgânicos e rejeitos.

    Os resíduos recicláveis secos coletados são transportados para a Central de Triagem Municipal para a triagem de resíduos, onde os resíduos são separados de acordo com sua composição e posteriormente vendidos para a indústria de reciclagem.