Prefeitura de Vinhedo

Perigos da queimada urbana

Em 2017 as queimadas destruíram área equivalente de 1.107.443 m² de vegetação em toda a cidade de Vinhedo, de acordo com informações da Defesa Civil.

Ainda no último ano, a corporação o Corpo de Bombeiros na contenção de incêndios 41 vezes . Desse total, 16 apoios aconteceram entre 1º de janeiro e 3 de agosto, sendo que os outros 25 ocorreram a partir de 4 de agosto, em decorrência das características da vegetação seca e da baixa umidade do ar.

A maior delas foi identificada em 28 de setembro de 2017, quando um incêndio atingiu área de aproximadamente 52 mil m² na Represa I.

As chamas começaram em um terreno vazio no bairro Vila Cascais, após alguém colocar fogo na grama do local. Em decorrência do vento forte, as faíscas passaram para o outro lado da linha do trem e chegaram até a área atingida.

Penalizações

A Lei Municipal nº 3.563/2013 é que dispõe sobre a proibição de queimadas na zona urbana e de expansão urbana do Município de Vinhedo e dá outras providências. A prática também considerada ilegal pela Lei Municipal nº 908/1979, que dispõe sobre o Código de Postura Municipal.

Os infratores estão sujeitos à penalidade de R$ 100 a R$ 5 mil, dependendo da gravidade do dano ambiental causado.

Queimar qualquer coisa – gerando poluição que cause danos à saúde – é crime previsto no artigo 54 da Lei Federal nº 9.605/1998, conhecida como Lei do Meio Ambiente. A pena varia de seis meses a quatro anos de reclusão, além de multa.

Ações de prevenção

Em parceria com a Defesa Civil Municipal, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo – também dentro das ações do Município Verde-Azul – realiza palestras nas regiões nas quais há ocorrências de incêndios, procedendo com a entrega de panfletos.

A população tem que ter ciência que nem em quintal deve-se fazer queimadas, ainda que de galhos secos e folhas. Apesar de ser propriedade particular, a prática prejudica a atmosfera, que é um bem da comunidade.

Mesmo sendo rejeitos naturais, a fumaça é antinatural, danosa e, às vezes, até fatal, pois contém partículas, gases e substâncias que provocam irritação dos olhos, da pele, das vias aéreas e até câncer.

Crianças, idosos e pessoas portadoras de doenças respiratórias são os mais prejudicados. Sabendo disto é hora de, então, cada um fazer a sua parte. A começar por três simples ações:

‣ não queimar lixo doméstico, ainda que sejam folhas secas e papéis no quintal de casa;

‣ não jogar lixo em terrenos baldios, áreas verdes ou matas ciliares, para evitar a possibilidade de queimadas espontâneas;

‣ não jogar bitucas acesas de cigarro em locais nos quais há lixo, folhas secas ou mato, principalmente da janela do carro em movimento e em estradas. Deste ato negligente e descuidado pode resultar um incêndio de dimensões incalculáveis!