Prefeitura de Vinhedo

  • CONCURSO PÚBLICO PARA 158 VAGAS:

    CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE
  • Indústria, Comércio e Agricultura

    + notícias

    Para coibir a prática de preços abusivos durante a pandemia, Prefeitura intensifica fiscalização a supermercados

    A Prefeitura de Vinhedo, em uma ação conjunta entre a Secretaria de Indústria, Comércio e Agricultura, por meio do Procon, e a Secretaria de Fazenda, promoveu nesta semana uma grande operação de fiscalização a supermercados do município. Com o objetivo de coibir a prática de preços abusivos durante a pandemia, foram visitados 12 estabelecimentos nos dias 28 e 29 de abril.

    “Dentre as ações de enfrentamento à pandemia, esse é mais um trabalho de grande importância para a população. Não iremos tolerar aumentos injustificados dos preços nesse momento tão delicado, em que muitas famílias tiveram seu orçamento prejudicado por conta da pandemia”, destacou o prefeito Jaime Cruz.

    O secretário de Indústria, Comércio e Agricultura, Matheus Galbes, e os agentes do Procon pesquisaram 25 itens essenciais que compõem a cesta básica dos brasileiros, dentre eles o arroz, feijão, farinha de trigo, fubá, açúcar refinado, óleo de soja, macarrão espaguete, entre outros.

    Em cada produto fiscalizado foi possível perceber grandes variações de preços. O alho, por exemplo, foi encontrado tanto a R$ 19,90 quanto a R$ 49,90 o quilo, 150,75% de diferença de um local para outro. A banana nanica variou de R$ 1,85 a R$ 4,89.

    “Nossa intenção não é prejudicar os empresários e sim proteger o consumidor, tão afetado por essa situação. Continuamos orientando a todos que, se constatarem a prática de aumento abusivo dos preços, utilizem os nossos canais de atendimento e denuncie”, explicou o secretário de Indústria e Comércio, Matheus Galbes.

    Além da fiscalização dos preços, fiscais tributários conferiram a documentação dos supermercados. Dos 12 visitados, 6 foram notificados por não estarem de acordo com as regras para funcionamento em horário especial.

    Esta ação faz parte de um conjunto de operações realizada pelo Procon para proteger o consumidor. De 24 de março a 16 de abril, 79 estabelecimentos foram intimados a apresentarem notas fiscais dos últimos três meses da compra de máscaras, luvas cirúrgicas, álcool gel e gás de cozinha que justifiquem o acréscimo no valor final desses produtos, cabendo penalidades judiciais caso sejam encontradas irregularidades.

    O aumento abusivo no preço dos produtos, ou seja, a venda por um preço muito acima do praticado naturalmente no mercado, sem justificativa, caracteriza infração ao artigo 39 de Lei Federal nº 8.078/90, o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

    O consumidor que constatar valores acima do praticado normalmente pode denunciar ao Procon por meio do site www.procon.sp.gov.br, pelo aplicativo da Fundação Procon disponíveis para plataformas Android e IOS e através das redes sociais, marcando @proconsp, tirando foto e indicando o endereço do estabelecimento. O Procon de Vinhedo também está orientando os consumidores pelo e-mail atendimento.procon@vinhedo.sp.gov.br e pelos telefones 3826-7873 e 3876-5502.