Prefeitura de Vinhedo

  • CONCURSO PÚBLICO PARA 158 VAGAS:

    CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE
  • Assistência Social

    + notícias

    Prefeitura lança cartilha informativa para combater aumento da violência contra a mulher durante pandemia do coronavírus

    A Prefeitura de Vinhedo, por meio da Secretaria de Saúde, em parceria com o Ministério Público de São Paulo, lançou a cartilha informativa “Mulheres em situação de violência no contexto da pandemia da Covid-19” para profissionais de saúde da Rede Municipal. O objetivo da ação é impedir o aumento das agressões contra a mulher, que tem ficado mais tempo em casa por conta da quarentena.

    “É lastimável saber que a mulher tem sofrido violência dentro de sua própria casa por quem deveria proteger e amar, que é o esposo ou companheiro. Com a quarentena, há uma tendência de que esse número aumente e nós estamos atentos para tomar todas as medidas punitivas contra os agressores. Pedimos às mulheres que não se calem e denunciem”, destacou o prefeito Jaime Cruz.

    Estudos revelam que o período de quarentena e de isolamento pode acirrar as tensões em casa, principalmente contra as mulheres, meninas e adolescentes, devido ao aumento do tempo em que as pessoas permanecem em um mesmo espaço e dos impactos econômicos nas famílias. Entretanto, os números aqui em Vinhedo se mantém praticamente iguais aos de 2019 nesta mesma época, 32 casos registrados contra 33 em 2020.

    De acordo com a Diretoria de Assuntos Estratégicos da Secretaria de Saúde, por muitas vezes a mulher agredida não realiza a denúncia da violência por medo ou falta de suporte financeiro. Daí a importância de uma equipe atenta aos mínimos sinais de uma possível agressão.

    “A cartilha é um importante instrumento de alerta para a atuação dos profissionais de saúde na prevenção de violência em tempos de Covid-19, a Rede Municipal está alerta para prevenir e combater a agressão, baseada no gênero”, afirmou a diretora de Assuntos Estratégicos da Secretaria de Saúde, Dra. Maria Alice P. B. de Oliveira.

    Os agentes comunitários possuem um importante papel no combate à violência, pois realizam atendimento ao público, muitas vezes, diretamente na casa dessas mulheres. A partir da capacitação desses profissionais a identificação da vítima e o encaminhamento para órgãos capazes de protegê-la pode não somente diminuir os números de agressão, quanto encaminhar essa mulher para a rede de atendimento específica.

    É importante lembrar que, além da violência física, a mulher pode sofrer violência psicológica, sexual, moral ou patrimonial, bem como, sofrer ameaça de ter suas fotos e vídeos íntimos divulgados na internet.

    Somente a denúncia pode diminuir essa prática e punir os agressores. Conheça os canais que a Prefeitura disponibiliza para acolhimento da mulher em situação de violência:

    – Centros de Referência de Assistência Social (CRAS): http://bit.ly/localize_cras (verifique nesse link qual unidade fica mais próxima da sua casa)

    – Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS): http://bit.ly/localize_creas (verifique nesse link qual unidade fica mais próxima da sua casa)

    – Defensoria Pública: www.defensoria.sp.def.br / 0800 – 773 – 4340/ (11) 94220 – 9995

    – Delegacias: Desde 2 de abril deste ano os boletins de ocorrência por situação de violência doméstica podem ser registrados por meio deste endereço eletrônico: https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/home

    – Casa da Mulher Brasileira: Rua Vieira Ravasco, 26 – Bairro Cambuci – Centro – São Paulo. Telefone: (11) 3275-8000.