Ir para o conteúdo

Prefeitura de Vinhedo e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Vinhedo
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Youtube
Rede Social Whatsapp
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
22
22 NOV 2021
SAÚDE
Grupo de combate ao tabagismo de Vinhedo retoma encontros presenciais
PROCESSANDO ÁUDIO
Reuniões são abertas aos interessados e acontecem toda sexta-feira, às 7h, no Anfiteatro do Centro Médico
O grupo de combate ao tabagismo de Vinhedo retomou este mês os encontros presenciais abertos à participação de interessados em se livrar da dependência química do cigarro. Os encontros acontecem toda sexta-feira, às 7h, no Anfiteatro do Centro Médico, na Rua Castelo Branco, 1.375, no Jardim São Matheus. O grupo estava se encontrando de forma online durante a pandemia e agora retornou às reuniões presenciais.

Os participantes do grupo são acompanhados por médicos clínicos gerais, nutricionista e psicólogo. Não é necessário se inscrever para participar das reuniões, basta comparecer no dia e local em que elas ocorrem. O grupo tem hoje cinco integrantes. Os encontros são livres e abertos, porém, para receber o tratamento medicamentoso é necessário comparecer semanalmente às reuniões.

Nos encontros, os participantes fazem reflexões e compartilham suas vivências. Há ainda a realização de práticas interativas, como meditação. Segundo a Secretaria de Saúde, em média os participantes conseguem parar de fumar a partir de 12 encontros, mas isso pode variar de acordo com a disposição de cada pessoa.

Tabagismo

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 443 pessoas morrem a cada dia no Brasil por causa do tabagismo. Os custos dos danos produzidos pelo cigarro no sistema de saúde e na economia somam R$ 125 bilhões, inclusive com as 161.853 mortes anuais que poderiam ser evitadas, informa o Instituto. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o tabaco mata mais de 8 milhões de pessoas por ano. Mais de 7 milhões dessas mortes resultam do uso direto desse produto, enquanto cerca de 1,2 milhão é o resultado de não fumantes expostos ao fumo passivo. A OMS afirma ainda que cerca de 80% dos mais de um bilhão de fumantes do mundo vivem em países de baixa e média renda, diz o Inca.

O tabagismo é reconhecido como doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco e integra o grupo de transtornos mentais e comportamentais, conforme o Inca. É também a maior causa evitável isolada de doenças e mortes precoces em todo o mundo.

O tabagismo contribui para o desenvolvimento de vários tipos de câncer, como leucemia mielóide aguda, câncer de bexiga, de pâncreas, de fígado, do colo do útero, de esôfago, de rim e uretra, de laringe (cordas vocais), na boca, de faringe (pescoço), de estômago, de cólon e reto, câncer de traqueia, brônquios e pulmão.

O tabaco causa a maior parte de todos os cânceres de pulmão e contribui de forma significativa para acidentes cerebrovasculares e ataques cardíacos mortais. O tabagismo também contribui para o desenvolvimento de enfermidades como tuberculose, infecções respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose e catarata.
 
Autor: Silvana Guaiume
Secretarias Vinculadas
Seta
Versão do Sistema: 3.2.2 - 02/05/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia